O começo

Apaixonados por jogos e pela democracia, uns amigos se juntaram no almoço para discutir a possibilidade de fazer um jogo. Sobre o quê? Era 10 de junho, e o Brasil tinha sofrido o segundo golpe de um ‘Golpe de Estado’ e não havia clima pra outro assunto: seria um “jogo do golpe”.
Sentados à mesa, quase não comendo de tão animados, foi ali mesmo que começou a ideação e prototipagem… E se…?
Uma ideia atrás da outra, a proposta foi ganhando forma: seria um jogo de tabuleiro, com cartas sobre o “golpe”. E seria sobre o próximo e último capítulo da instalação do regime de exceção: a votação final do Senado.
Marcada para dali a dois meses, esse era o tempo de desenvolver o jogo.
Um tabuleiro marcaria o placar de votação que seria alterado por fatos cotidianos, representados nas cartas.
As cartas teriam valências e seriam usadas pelos jogadores para mudar as posições.
Eureka! Havia ali um embrião do jogo. Agora era tirar da cabeça, colocar no código e imprimir no papel.
Desajeitados, passaram a tarde fazendo a primeira versão. Depois de alguns minutos de discussão, uma versão preliminar ‘protótipo’ do que seria o jogo já estava sendo impresso como “cartas contra o golpe”!

Em uma próxima reunião na ‘Casa da Dani’, animados com o protótipo, enquanto todos bebiam, foi formada uma mesa para testar a primeira versão ‘beta’ do jogo e ali, pela primeira vez, foi jogado “Cartas contra o Golpe”.
Vários problemas começaram a surgir, apontados pelos participantes nas 4 rodadas que desfrutaram da criação:
– era muito difícil derrubar o golpe pois a maioria das cartas era pró-golpe…
– era muito difícil marcar o tabuleiro, pois eram 81 senadores, e ficaria difícil mudar a posição individual de cada um (era até difícil achá-los no tabuleiro)
– era preciso definir papeis: quem defende o golpe ou a democracia?
– era preciso ter “uma carta do Cunha” (sugestão jamais incorporada pois o jogo era do Senado, mas as pessoas tinham dificuldade em entender a separação das casas congressuais no país).

Estava lançada uma ideia do que seria o jogo, ao menos acreditávamos que precisava apenas de alguns ajustes.

Leave a comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *